Greve de ônibus no Rio de Janeiro: Confira o plano de contingência

1101
Publicidade

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou um plano de contingência para diminuir os impactos da greve de ônibus que deve afetar a cidade nesta terça-feira, dia 29 de março de 2022.

Segundo a gestão municipal, a Procuradoria Geral do Município está tomando as providências judiciais para assegurar a prestação do transporte público pelos motoristas e pelas Concessionárias.

“Ainda de acordo com o Termo de Conciliação celebrado em abril de 2018, os operadores dos consórcios têm a obrigação de garantir a operação de, no mínimo, 50% das linhas que deixem de circular, em até 24 horas, de forma a proporcionar a continuidade da prestação dos serviços”, disse à Prefeitura em nota.

Orientação aos passageiros

Segundo orientação da Prefeitura do Rio, os passageiros que precisam trabalhar presencialmente devem utilizar o Metrô, as Barcas, a Supervia e o VLT.

Publicidade

“Quem puder, viaje fora dos horários de pico ou trabalhe de casa”, disse em nota.

Plano de contingência

Reforço na operação dos modais:

VLT: extensão do horário de pico de acordo com a demanda, garantindo 7 minutos de intervalo nas 3 linhas.

Metrô: oferta extra nos horários de entrepico conforme necessidade, podendo também estender os horários de pico nos trens e Metrô na Superfície.

Supervia: oferta de trens reservas posicionados no Ramal Santa Cruz e Gramacho. Caso a demanda de passageiros tenha acréscimo, os mesmos serão adicionados à operação, podendo antecipar a operação do pico vespertino.

Barcas: Uso de embarcações maiores na ligação Cocotá – Praça XV. Os horários das linhas, exceto Cocotá e Paquetá, foram retomados de acordo com os intervalos pré-pandemia.

Intermunicipais: Reforço de linhas que passam no município.

Ações complementares

As vans e os “cabritinhos” – veículos que circulam em comunidades – estão autorizados a desviar o itinerário para atender estações de trem, metrô e BRT nas áreas de planejamento das respectivas linhas e uso das faixas de BRS. Haverá fiscalização de cobrança de tarifas abusivas nas vans pela SEOP/CETC, nos táxis, por meio do aplicativo Taxi.Rio (iOS e Apple Store) e em ônibus executivos, em caso de denúncias feitas pela SMTR.

A CET-Rio monitora pontos críticos quanto a eventuais impactos na circulação para ações de operação de tráfego com objetivo otimizar a fluidez do trânsito principalmente nos arredores dos terminais Alvorada, Recreio, Fundão, Jardim Oceânico, Central do Brasil e Mato Alto.

Mobilidade Rio

Siga o Mobilidade Rio no Twitter e fique informado sobre a mobilidade urbana do Rio de Janeiro e Região Metropolitana.

MOBILIDADE RIO

Siga o Mobilidade Rio no Twitter e fique informado sobre a mobilidade urbana do Rio de Janeiro e Região Metropolitana.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui