Prefeitura do Rio acompanha inventário da Linha Amarela e inicia transição para assumir operação da via

7
Linha Amarela Expressa
Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Neste domingo, dia 21 de fevereiro de 2021, foi iniciado o processo de transferência da Linha Amarela para a Prefeitura do Rio. Secretários e técnicos da Prefeitura do Rio estiveram no local para fazer um levantamento de bens e iniciar a transição, conforme decisão judicial.

A encampação começou neste domingo e será concluída até sábado, dia 27 de fevereiro, prazo determinado pela Justiça para que a Prefeitura do Rio comece a operar a via. Ainda neste semestre, uma licitação será realizada para escolher uma nova concessionária para administrar a via expressa.

Parte das operações já está com os órgãos púbicos. A Companhia de Engenharia de Tráfego agora é a responsável pelo serviço de resgate de veículos enguiçados. Já a Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente, pelo de tapa-buraco. A Linha Amarela continuará sem cobrança de pedágio até que uma nova concessionária comece a administrar a via.

Leia abaixo na íntegra a nota divulgada à imprensa pela Prefeitura do Rio sobre o inventário e o processo de transição da Linha Amarela.

“Neste domingo, 21 de fevereiro, diversos secretários e presidentes de órgãos da Prefeitura do Rio estiveram na base operacional da Linha Amarela para acompanhar o trabalho de inventário dos bens e dar início ao processo de transferência de operação da via.

A transição iniciada neste domingo garante a continuidade dos serviços e a segurança do usuário, e deverá ser concluída até o dia 27 de fevereiro, prazo determinado pela Justiça para que o município encampasse a via de forma plena.

‘Hoje, por determinação do prefeito Eduardo Paes, e cumprindo uma decisão judicial, começamos a transição para a operação da via. Um dos passos dessa transição é o inventário desse patrimônio, ou seja, tudo o que vai ser transferido para a Prefeitura do Rio. O nosso objetivo é que esta transferência aconteça da maneira mais harmoniosa possível, garantindo a operação da Linha Amarela, e, principalmente a segurança dos usuários’, afirmou o secretário de Governo e Integridade Pública, Marcelo Calero.

Estiveram presentes na base operacional da Linha Amarela os secretários de: Transportes, Maína Celidonio; Conservação, Anna Laura Secco; Ordem Pública, Brenno Carnevale; além do Procurador-Geral do Município, Daniel Bucar. Também compareceram ao local os presidentes da Comlurb; Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio; IplanRio e o chefe do Centro de Operações Rio.

Parte das operações já passou integralmente para os órgãos públicos. A partir deste domingo, por exemplo, a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio passou a ser responsável por todo o serviço de resgate mecânico (em caso de pane em veículos na via), assim como a Conservação, que passou a ser responsável pelo serviço de tapa-buraco. A Guarda Municipal atua com 36 profissionais para assegurar a segurança física das instalações, a segurança das vias e a fluidez e as operações no trânsito. O Corpo de Bombeiros, por sua vez, pelo resgate de vítimas em caso de acidentes.

A Linha Amarela continuará sem a cobrança de pedágio ao usuário até que seja feita uma nova licitação por parte da Prefeitura do Rio.

‘O prefeito Eduardo Paes deixou muito claro que ele quer que seja cobrado um preço justo pelo pedágio da Linha Amarela. Portanto, haverá o encaminhamento de uma nova licitação. Mas, até a conclusão da licitação, a operação da via fica a cargo da Prefeitura do Rio’, concluiu o secretário Calero.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui